A história: como cheguei à Malbusca

Tudo começou em Novembro de 2017, naquela altura eu morava num apartamento penhorado na rua de Lisboa, em Ponta Delgada; não foi o facto de estar penhorado, nem de que os aviões passaram a 50 metros por cima do teito a cada pouco, nem sequer o intenso e constante barulho dos carros da rua de Lisboa; o que fez-me ir embora foi que começou a entrar agua pelo teito cada vez que chovia:

Goteira em apartamento de Ponta Delgada

Pode-se dizer que foi, em portunhol, "a gota que colmou o copo".

Obviamente o normal teria sido que o proprietário dos apartamentos repara-se o teito... mas como estava tudo penhorado, não tinha muita vontade de investir dinheiro em reparações, e uma longa história, mesmo engraçada, mas para resumir, a situação de facto foi que ou reparava eu o teito, ou ficava com a agua a entrar em casa cada vez que chover, ou ia-me embora; então, optei pela última opção.

Depois, como alugar um apartamento óptimo em Ponta Delgada é cada vez mais uma missão impossível, terminei por apanhar o barco onde já morei muitos anos e ir-me embora à última ilha dos Açores que ainda não conhecia: Santa Maria.

Aqui estava já instalado, graças a Deus temporariamente, na marina de Vila do Porto:

casa tradicional mariense

O facto de ser a última ilha, motivo-me muito para fazer tudo o possível por ficar cá, era isso ou voltar arriscar a minha vida sozinho no meio do Mar, para tentar chegar a outros lugares que, muito provavelmente, não iriam ser melhores nem mais baratos que aqueles dos Açores.

Mesmo assim não foi fácil encontrar uma casa para alugar todo o ano, a maioria estavam já arrendadas a professores, e muitas outras eram só para turistas... depois de várias semanas de procura inútil, comecei pensar que talvez teria que ficar a morar no meu barco para sempre, já fosse na marina de Vila do Porto ou em Ponta Delgada, sinceramente não achava a ideia nada entusiasmadora, depois de 10 anos a morar num barco de 8 metros, chega um ponto que ficas farto de barcos.

Felizmente, graças a Deus, aconteceu um pequeno milagre, e alugaram-me uma bela casa na Malbusca para todo o ano, um dos sítios da ilha de Santa Maria que mais gosto, não há nada como te acordar cedo de manhã a olhar o Mar e ouvir os passarinhos cantar, comparado com a rua de Lisboa em Ponta Delgada, com os seus carros e aviões, isto é um paraíso:

casa tradicional mariense

Então, o certo é que cheguei a Malbusca de causalidade, mas mesmo assim gosto muito do sítio, já sei que a ilha de Santa Maria está cheia de sítios similares, ou até melhores, mas no final do dia, o que mais conheces e aquilo que mais gostas ;-)

Contato

MalBusca.PT © 2018